Em uma pequena cidade da província de Adamawa, cuja capital é a cidade de Ngaoundéré, as atividades comerciais são em grande parte dominadas por muçulmanos e a fragilidade econômica da igreja se destaca. A comunidade muçulmana possui a maioria das empresas e lojas na região e a busca pela prosperidade tem levado muitos cristãos a se afastar dos princípios bíblicos ou até mesmo a se converter ao islamismo.

De olho nessa necessidade, a Portas Abertas tem estimulado algumas igrejas a serem mais fortes economicamente e, dessa forma, suportar a pressão do islã sobre os fiéis. “Antes de me mudar para cá, em 2014, percebi que havia dificuldade até mesmo de união entre as diferentes denominações cristãs. Os problemas econômicos afetavam de todas as formas, não havia proximidade e os líderes se evitavam. A igreja nesse local passava por graves problemas de identidade”, comenta Ferdinand*, um dos pastores locais.

O treinamento ministerial começou a ser oferecido a eles e, Ferdinand junto de outros 40 líderes de igrejas locais participaram. Eles aprenderam sobre a importância de ter uma visão cristã em suas vidas financeiras. Em 2015, houve a segunda parte da formação focando mais em princípios empresariais. Os participantes foram encorajados a apresentar projetos econômicos consistentes em diferentes igrejas, sugerindo que todos trabalhassem juntos por um mesmo propósito. No início de 2016, três pequenos projetos foram apresentados. “Decidimos nos unir, orar e trabalhar juntos e tem dado certo”, conclui Ferdinand.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Fonte: Site Portas Abertas